Faróis da antiguidade

Ainda que existem poucas referências sobre a origem e primitivo desenvolvimento dos faróis, parece lógico supor que estas remontem-se às primeiras tentativas de navegação quando o homem propôs-se ir mais além dos limites visuais dos seus primeiros portos.

Num princípio, quando a navegação fazia-se só durante o dia, sem separar-se muito da costa e sem perder de vista a terra firme, os sinais de orientação eram o simples reconhecimento dos próprios acidentes naturais da paisagem. No entanto, a situação mudou quando essas identificações complicaram-se e foi preciso introduzir algum elemento que permitisse reconhecer a costa: assim nasceram os sinais marítimos artificiais, ou seja, os faróis.

A este respeito podemos encontrar exemplos nos cinco continentes, embora de tipologias muito diferentes. Nas suas origens todas vincularam-se a personagens mitológicos e reconheceram-lhes propriedades mágicas, porém com o desnvolvimento do conhecimento o homem passou a convertir-se no construtor dos seus próprios faróis.

Em todas as civilizações da Antiguidade tanto no âmbito mediterrâneo –os egípcios, os fenícios, gregos ou romanos- como no âmbito oriental –a China das dinastias Shang e Zhou- ou no âmbito americano –astecas, maias e incas- desenvolveram-se diferentes sistemas de sinalização marítima mais ou menos complicados, mas que não chegaram até nós ou fizeram-no condenados a simples testemunhos arqueológicos.

Neste sentido, a Torre de Hércules é o último elo de uma grande cadeia da que formariam parte os principais faróis da Antiguidade entre outros, alguns exemplos emblemáticos como o farol da Alexandria ou o Colosso de Rodas que foram reconhecidos por Antípatro de Tesalónica como uma das sete maravilhas do mundo antigo.

Ante outros exemplos hoje perdidos, como o farol de Ostia, o de Nápoles (Itália) ou o citado farol de Alexandria (Egipto), a Torre de Hércules é o único sinal marítimo que se mantém operativo de todas as torres de apoio à navegação que a civilização romana construriu tanto no litoral mediterráneo como no atlântico.

Mais informação sobre Faróis da antiguidade [.PDF]